Clicky

Relacionamento à distância

Posted by On April - 20 - 2012
Em meio a um turbilhão de pensamentos, dúvidas e incertezas que vêm à sua mente (mente inteligente); juntar tudo isso com um coração que bate forte por alguém que mora do outro lado do planeta (coração  burro), você tem o que se pode claramente chamar de catástrofe, certo? Depende. Se você estiver disposto a acreditar que o coração, por se apaixonar, é inteligente e que a mente, por pensar dessa maneira, é burrinha, você está no caminho certo.

Costumo dizer que tudo depende de como você enxerga as coisas. Se você olhar esse relacionamento como uma chance ao amor, ao aprendizado, à maturidade, ao bom senso, à compreensão, à cumplicidade e ao comprometimento (o que aliás, todos os relacionamentos deveriam conter) ele tem ótimas chances de ser incrivelmente duradouro e inesquecível. Foi assim que eu decidi enxergar.

Há quem evite, há quem não aceite. Por experiência posso dizer que mesmo relutante no começo, hoje, graças a esta oportunidade que dei ao coração, trago uma bela história pra contar. Aliás, tive um relacionamento onde a proximidade não foi diferencial no quesito “sucesso” nem “felicidade” pois terminou de forma tão desastrosa que a solução para viver após o fim foi tirar lições positivas e aplicá-las na próxima oportunidade que a vida me traria: um relacionamento à distância.

Não significa que você não terá que ponderar vantagens e desvantagens, o que eu quero dizer é que é possível encontrar um equilíbrio para manter um relacionamento onde um não mora perto do outro, até porque equilíbrio é a base para qualquer relacionamento, não importa a circunstância.

O sucesso ou o fracasso do seu relacionamento é diretamente proporcional ao seu poder de decisão. Por exemplo: você pode decidir arrancar os cabelos e perder preciosas horas de sono numa crise de ciúmes ou, você pode decidir levar um papo super aberto e honesto onde ambos estão comprometidos e compartilham da confiança saudável que os casais felizes sabem genialmente como manter. VOCÊ DECIDE.

Abrindo um parêntesis na forma sutil com que abordo este tema e sendo bem clara, se você for um chato, grudento, irredutível a mudanças e adaptações, achar que tudo tem que ser só do seu jeito e que o mundo gira em torno do seu umbigo, não alimente esperanças de que um relacionamento à distância dê certo. A propósito, não espere que NENHUM relacionamento dê. Então lindão, fica esperto porque se você for um cara bacana, a gatinha vai ficar na tua nem que você esteja morando na lua. Mesma coisa para as moçoilas apaixonadas pelo caixeiro viajante: o príncipe querer ficar com você não depende da distância não, DEPENDE DE VOCÊ e de quão encantadora, charmosa, bem-humorada, simples e compreensiva você é. (Porque nada é mais insuportável do que menina mimada, fresca e cheia das nove horas e das caras e bocas, reclamona, barraqueira e que vive com humor do dinossauro.)

O mundo funciona numa dinâmica conhecida sua, chamada: ação e reação. Os relacionamentos também. Toda ação gera uma reação e é baseada neste conceito que digo que você é integralmente responsável pelas suas ações e consequentemente pelos resultados que elas te trazem. O que isso tem a ver com seu relacionamento? Tudo. Aprenda a controlar suas ações que obterá reações agradáveis e surpreendentes. Esse processo pode ser descrito de uma maneira bem simples: pensar – agir. A combinação consciente desses dois elementos resulta num terceiro elemento, quase mágico, que inexiste sem os outros dois: a maturidade. Sem ela, a sua goiabada pode ficar sem queijo e o que era pra ser poesia com verso de rima acaba virando canção sertaneja.

Seja para os casais que por alguma razão (trabalho, estudo, etc.) foram separados ou para os que já moravam distantes ao se conhecer, apostar na continuidade do relacionamento requer uma pitada do que eu chamo de “saber o que quer” porque no mais tudo é passível de adaptação. E é sobre ela que falaremos nesta série sobre Relacionamento à distância.

São temas que abordaremos:

  • A decisão de estar em um relacionamento à distância – o ponto de partida;
  • Manter-se emocionalmente conectado – o elemento-chave;
  • Gerenciando atitudes e contornando desafios – a estratégia;
  • Dicas práticas baseadas em experiências de sucesso. (Imperdível!)
Se você, assim como a Patricia e eu, embarcou nesta caravela, você não pode deixar de acompanhar este especial.
Em breve publicaremos o primeiro artigo da série, enquanto isso você pode deixar o seu comentário e a sua participação compartilhando conosco a sua experiência. Até lá!
VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)
Relacionamento à distância, 5.0 out of 5 based on 1 rating

Gostou deste artigo? Veja outros artigos relacionados:

  • Outros artigos:

Texto de: Fabiana Honorato

Âncora do programa de cultura internacional Journey, na Rádio Phoenix, no Japão. Editora de conteúdo online e redatora. Personal Trainer e atleta. Coordena os projetos BodyRock de saúde e fitness e Easy To Talk, de língua inglesa.

Clique para ler os outros 33 artigos escritos por Fabiana Honorato no 1001 Dicas Práticas.

VIDEO

TAG CLOUD

Parceiros