Clicky

Achados por aí – nova categoria no blog

Posted by Patricia Muller On August - 20 - 2012COMENTE
Nova categoria no 1001 Dicas!

Muitas vezes acontece de esbarrarmos em alguma idéia ou solução interessante nos momentos mais inesperados: uma viagem de férias, uma ida ao supermercado, na casa de amigos ou família e assim por diante.

Para estas horas em que não queremos perder a oportunidade de dividir estas dicas rápidas no ato, Fabiana e eu vamos fotografar (quando aplicável) e publicar as idéias e soluções geniais que encontramos por aí.

Tudo via iPhone, iPad ou qualquer outro dispositivo móvel que tenhamos à mão – usando, na maioria dos casos, o WordPress for iOS.

Esta categoria recebe o nome de “Achados por aí” e vai conter dicas em diversos assuntos. Vamos ficar antenadas a tudo à nossa volta, onde quer que estejamos, para descobrir novas dicas úteis para vocês.

E queremos aproveitar para convidar nossos(as) leitores(as) a colaborar conosco nesta categoria, enviando as dicas em que VOCÊ esbarrar por aí.

Não somente no que você esbarrar, mas também idéias e soluções interessantes que você já usa no seu dia a dia – na sua casa, carro, ambiente de trabalho, etc.

Para ambos os casos, é só acessar nosso formulário de contato, fornecer seu nome (e link, se tiver um blog) para podermos lhe dar os devidos créditos, anexar sua imagem e dizer onde a dica foi encontrada.

Esperamos que gostem da novidade e fiquem de olho para acompanhar nossos “Achados por aí”.

 (Créditos: Ilustração de Wigney Oliveira).

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)

Apresentando o nosso cartunista

Posted by Fabiana Honorato On June - 4 - 20121 COMENTÁRIO
Mais arte e cor aqui no 1001Dicas! Nosso site agora conta com a colaboração do Wigney Oliveira, um talentoso cartunista que traz sua personalidade gente fina para a nossa equipe.

Além do 1001 Dicas, as ilustrações do Wigney trarão vigor e um colorido especial para o 101 Coisas em 1001 Dias, o Somatória dos Ângulos, o All Hot Tips e os artigos da nossa coluna no site da Rádio Phoenix.

Pra quem quiser saber mais sobre o nosso cartunista e seus trabalhos, é só dar uma passadinha na página da nossa equipe, onde estão também disponíveis os links de contato.

Wigney, bem vindo! É um prazer ter seu talento aqui no nosso site e uma satisfação tê-lo na nossa equipe.

Sucesso pra você!

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (2 votes cast)

Seja preventivo com sua carteira

Posted by Patricia Muller On May - 19 - 2012COMENTE
Fim-de-semana do Dia das Mães: eu e o marido fomos passar a data com os pais dele e fizemos um passeio de barco em um lindo local a 45 minutos de onde eles moram. Já de volta, à noitinha, enquanto tomava meu banho e me preparava para finalmente descansar, marido vem me avisar que teria que dirigir novamente até o lugar onde estivemos, àquela hora da noite.

O motivo? Ele havia perdido a carteira e uma rara alma de boa índole havia deixado um recado no celular avisando que a tinha encontrado e queria devolvê-la. Pasme! – história real.

Para encurtar essa história, a carteira foi recuperada com absolutamente todo o seu conteúdo intacto – inclusive dinheiro vivo (que não era muito, mas poderia facilmente ter “desaparecido”).

Final feliz neste caso, foi mesmo só o susto. Porém esta costuma ser a exceção e se você já perdeu uma carteira (ou se ela foi roubada) com todos os seus documentos dentro, sabe a dor de cabeça que pode ser e conhece a sensação de desespero que invade sua mente no momento em que você se dá conta do problema (juntamente com xingamentos de natureza pouco elegante, se é que me entende).

Ninguém quer passar por isso, claro. Mas às vezes acontece. Se acontecer, você está preparado?

Para aqueles que preferem prevenir a remediar, seguem nossas dicas para que os prejuízos e a dor de cabeça sejam mínimos em uma situação como esta. Não vamos falar sobre o que fazer depois que a carteira é perdida, mas sim o que você pode fazer antes:

1. Carregue na carteira somente o necessário

Quanto mais coisa você carrega, mais terá com que se preocupar no evento de uma perda ou roubo. Mantenha na carteira somente o que realmente precisa no seu dia-a-dia, evitando não só o que é desnecessário, mas também informações que possam colocar você ou sua família em risco.

2. Use cópias autenticadas de documentos, quando possível

E deixe os originais em casa. Nem sempre isso é possível, mas opte por esta alternativa quando for. Se sua carteira for dar um passeio sem data para retorno, você não precisará se preocupar com a emissão de novas vias dos originais.

3. Crie um documento de referência

Liste nele tudo o que carrega na carteira – não confie apenas na sua memória. E mantenha essa lista atualizada (caso contrário ela não terá a utilidade desejada), guardada em local de fácil acesso – preferencialmente online, de forma que você possa visualizar ou baixar de qualquer lugar com uma conexão, incluindo do seu celular. Boas alternativas são o Google Docs (ou o novo Google Drive) ou Evernote.

O objetivo dessa lista é servir de guia para providências que se façam necessárias. Ao ter uma referência descritiva do conteúdo da sua carteira, fica muito mais fácil priorizar o que é mais emergencial. Nessa hora, a pior coisa que você pode fazer é perder tempo tentando lembrar de tudo o que estava lá ou sentir-se perdido, sem saber por onde começar.

Aproveite para incluir neste documento telefones úteis, tais como centrais de cartões de crédito, banco, seguradora, etc. Dessa forma você tem tudo à mão e pode agir com rapidez e calma.

Importante: se este documento for armazenado online, não inclua números de cartões de créditos ou outros dados sigilosos! Para ter estas informações acessíveis de forma segura, imprima seu documento, adicionando números de cartão à lista impressa e guarde em casa.

4. Coloque dentro da carteira uma informação de contato

Na hopótese de que alguém encontre sua carteira e queira tentar devolvê-la, essa pessoa precisará de uma forma para entrar em contato com você. Você pode, inclusive, colocar um cartão com os dizeres: “Se você encontrar esta carteira, por favor entre em contato através do email…”.

A melhor alternativa para contato é, de fato, uma conta de email. Mas não forneça sua conta principal ou o email que usa no Facebook! Crie uma especificamente para este fim e você só precisará acessá-la se sua carteira for perdida.

Desta forma a pessoa poderá entrar em contato, sem que sua localização geográfica fique exposta ou que sua tranquilidade seja comprometida. E é também útil caso você perca sua carteira fora da sua cidade, estado ou país.

Para usar um número de telefone sem expor seu celular ou telefone residencial, boas alternativas são o Número Online do Skype ou o Google Voice (se você está em um país em que os números do serviço estão disponíveis).

5. Tenha versões digitalizadas dos documentos originais

Se você carrega originais na carteira, tire fotos de tudo o que precisará ser reemitido ou cancelado na hipótese de extravio. Frente e verso. Tenha imagens dos seus cartões de débito e crédito, CIC, RG, carteira de motorista, etc. Esta é uma referência visual que pode ser bastante útil.

Salve os arquivos das fotos em local seguro – isso não significa no HD do laptop que você leva pra cima e pra baixo! Salve em algum outro tipo de mídia digital, como um pen drive ou CD e guarde em casa.

6. Cuidado com senhas!

Pode parecer questão de bom senso, mas muita gente ainda comete o erro de anotar senhas de cartões e guardá-las dentro da carteira. Não faça isso! Em mãos erradas, você entrega sua conta bancária de bandeija para quem quiser usá-la.

7. Tenha um pouco de dinheiro vivo em casa

Sem seus cartões ou talões de cheque, você fica de mãos atadas até que eles sejam substituídos. Embora iso possa acontecer com certa rapidez, para garantir que você tem o mínimo de flexibilidade para lidar com algo urgente que possa acontecer neste meio tempo, é sempre bom estar prevenido guardando uma reserva de dinheiro vivo.

Esta dica é especialmente relevante em viagens. Tenha um plano B guardando um pouco de dinheiro e um cartão reserva no cofre do hotel ou no carro.

Tudo isso, no entanto, só é útil se você tomar as medidas preventivas ANTES de precisar lidar com a situação. Então, reserve um tempinho do seu dia para seguir estas dicas e manter sua paz de espírito.

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (2 votes cast)

O tom da semana: som de aconchego, casa e família

Posted by Fabiana Honorato On May - 11 - 2012COMENTE
Quem não se lembra da trilha do filme Cidade dos Anjos com a Meg Ryan e com o Nicholas Cage? Pois a mesma banda, o Goo Goo Dolls, gravou esta faixa para o filme Transformers.

Fica aqui a nossa sugestão para o seu fim de semana ser mais adocicado. Uma canção com cara de casa legal e de quarto aconchegante. Curta como quiser, do seu jeitão aí, mas curta.

YouTube Preview Image

E no fim de semana em que comemoramos o Dia das Mães, como não poderia deixar de ser, prestamos também nossa homenagem a todas as mamães mundo afora.

Começamos com Steven Curtis Chapman, que escreveu esta música em dedicatória tanto à esposa (mãe de seus 6 filhos) quanto à sua própria mãe. A letra é lindíssima, falando sobre como as mães transformam o mundo. One Heartbeat at a Time:

YouTube Preview Image

E, para fechar nossas sugestões e emocionar a geração da década de 70 e 80, direto do túnel do tempo trazemos Maria Bethania cantando Brincar de Viver no saudoso musical infantil Plunct Plact Zum:

YouTube Preview Image

Bom fim de semana e Feliz Dia das Mães.

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)

Removendo esmalte escuro

Posted by Fabiana Honorato On April - 30 - 2012COMENTE
Se você pertence ao fã clube das unhas vermelhas, vinho ou qualquer outro tom escuro, você precisa saber desta dica:

Como remover esmaltes escuros sem deixar aquela aquele aspecto de dedos avermelhados ou manchados. Direto do salão de beleza, essa dica foi cortesia da Rosa, a manicure mais caprichosa de Curitiba! Segundo ela, essa técnica é infalível pra remover o esmalte sem deixar vestígios.

É bem simples:

1. Você vai precisar de:

  • Removedor de esmaltes;
  • Óleo secante;
  • Algodão.
2. Pincele o óleo secante sobre as unhas e remova o esmalte com o algodão embebido no removedor, como de costume.
Com esta dica simples você removerá todo o esmalte e a pele permanecerá limpa, sem borrões nem com aspecto manchado!
VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 4.4/5 (8 votes cast)

O tom da semana: Alright by Supergrass

Posted by Fabiana Honorato On April - 28 - 2012COMENTE
Terminando a semana… e com ela uma música pra levantar o seu astral por seu tom descontraído e animado.

“Alright” ou “Tudo Certo” em português esse hit é da banda inglesa Supergrass, que teve origem lá na década de 90 e fez sua última turnê em 2010.

Essa música foi, há alguns anos, o tema do comercial da Intel no Brasil. Pra quem não lembra ou não é “desse tempo” (rs..) vale a pena conferir.

Um ótimo fim de semana!

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Como melhorar sua pronúncia em idiomas estrangeiros

Posted by Patricia Muller On April - 25 - 20124 COMENTÁRIOS
O aprendizado de idiomas é uma enriquecedora tarefa para toda a vida. Sim, para toda a vida. Mesmo quando você chega ao ponto em que se considera fluente, sempre tem ainda muito a ser explorado. E quanto mais você expande seus conhecimentos, mais se dá conta disso.

Mas uma das maiores dificuldades encontradas pelas pessoas que estão aprendendo uma língua nova é a pronúncia. Especialmente se seu professor não é nativo e ele próprio apresenta um leve ou pronunciado sotaque. Você vai repetir a pronúncia que ouviu e, uma vez aprendida a palavra, você deixa de perceber as sutilezas que tornam seu som perfeito ou distorcido (que caracteriza o sotaque). A melhor forma de ilustrar isso é pensar em como gringos pronunciam palavras em Português como “não”, “vovó”, “banho” – que soam para nós mais como “náu”, “vofóu” e “bánio”.

Este tipo de erro ocorre por mais de um motivo:

  1. Primeiramente, porque sempre tentamos utilizar a pronúncia das letras e junção delas usando a pronúncia do nosso idioma nativo como referência. Especificamente no caso de brasileiros aprendendo inglês, por exemplo, a tendência é acharmos que a palavra é pronunciada exatamente como está escrita, porém esta característica nem sempre se aplica ao inglês. Por exemplo, a palavra “iron” (ferro), não é pronunciada “i-r-o-n” e sim soa mais como “I-earn”. Brasileiro tem também a tendência de pronunciar palavras como “beat” e “bit” quase que exatamente da mesma forma – quando o som do “ea” na primeira palavra produz um som do nosso “I” mais fechado e mais longo e o “I” da segunda é mais curto, seco e aberto. Outros exemplos são “feel”/”fill”, “ship”/”sheep”.
  2. Os movimentos que a língua faz dentro da boca para produzirmos determinados sons são aprendidos nos primeiros estágios da infância – e, pasme, variam de idioma para idioma. Reproduzir sons que exijam novos movimentos quando adulto é um desafio (este é um dos motivos pelos quais, inclusive, é sabido que se uma criança aprender ao menos mais um idioma nos primeiros anos, terá mais facilidade de aprender um terceiro quando adulto).
  3. Em uma lógica simiilar, existem sons e combinações de letras inexistentes em alguns idiomas e presentes em outros. Americanos nunca produzem o som anasalado do nosso til (“farão”, maçã”) ou da sequência “nh” (“sonho”, “conhecimento”), etc. Imagine o esforço que é para um americano, portanto, pronunciar a palavra “manhã”. ;-) Brasileiros, por outro lado, não desenvolvem a pronúncia de sons básicos em inglês, como “th” (em palavras como “the”, “father”, “booth”), “rl” (“world”, “Earl”) e assim por diante. Para americanos, quando um brasileiro pronuncia a palavra “the” sem colocar a língua entre os dentes superiores e inferiores, o som que eles ouvem é algo domo “dã”.

Tudo isso pode parecer um apanhado de sutilezas insignificantes, mas fazem uma enorme diferença na qualidade da sua pronúncia, seja qual for o idioma que você esteja aprendendo. De nada adianta você ter um extenso vocabulário e uma gramática impecável, se não souber pronunciar as palavras de forma correta, pois não será compreendido. Fluência inclui o domínio de gramática, vocabulário, compreensão e pronúncia.

Felizmente, existem recursos online para ajudá-lo nesta tarefa de desenvolvimento de pronúncia. Nossa dica de hoje é a indicação de alguns sites dedicados a este propósito, para que você não precise coçar a cabeça quando precisar ler em voz alta palavras que te deixam com um enorme ponto de interrogação na testa.

Múltiplos Idiomas:

Forvo: O melhor site na categoria, na minha opinião, por cobrir uma quantidade significativa de idiomas. É um dicionário de pronúncia colaborativo que conta com pronúncias gravadas por pessoas ao redor do mundo. Você pode fazer buscas por idioma, por palavras, por categorias (que contam, inclusive, com expressões idiomáticas) e o site oferece ainda uma ferramenta de tradução.

Ao encontrar a palavra em questão, o site lista para você todas as contribuições para aquela pronúcia, especificando na lateral se é uma voz feminina ou masculina e a naturalidade do colaborador (por exemplo: homem do Brasil, mulher do Canadá). Assim, você pode optar por ouvir pronúncias apenas feitas por pessoas em seu idioma nativo e até mesmo comparar sotaques (americano/britânico/australiano/canadense e assim por diante). Isso para cada idioma, individualmente.

Por fim, um sistema de votos serve como parâmetro para as melhores pronúncias, para aquelas horas em que ao ouvir diferentes sotaques, você fica em dúvida com relação ao que é mais comum ou mais adequado para a sua situação. Você pode ouvir as gravações sem um cadastro, mas ao criar uma conta (gratuitamente) você ganha acesso a todas as funcionalidades do site, incluindo a criação de listas de pronúncias, sistema de mensagens para pedir pronúncias a outros usuários e a contribuir com suas próprias gravações.

Os recursos abaixo oferecem pronúncia apenas para inglês:

Howjsay: simples e objetivo, faça a busca por palavra e ouça a pronúncia. Oferece um add-on para Firefox e plugins para Google Chrome.

Dictionary.com: um dos primeiros dicionários online lançados na internet, oferece o som da pronúncia da palavra pesquisada. É só clicar no ícone de auto falante ao lado dela. Ainda é possível encontrar palavras sem o som da pronúncia no site, mas isso é a exceção e não a regra.

Shiporsheep.com: também simples e objetivo, traz comparações de pronúncias típicas do ítem 1 acima (mostrando a diferença entre “bat e bet”, por exemplo). A interface tem uma carinha meio antiga e não é muito intuitiva, mas ao clicar em uma categoria da tabela principal, o site trás uma lista com pares de palavras similares. Ao passar o mouse sobre cada uma, você ouve o som. Apesar do “design 1997″, estes comparativos tornam muito fácil e intuitivo sacar as diferenças de pronúncia, então vale a pena visitar.

Fun and Easy English: ao invés de buscar uma palavra específica, neste site você encontra aulas em vídeo onde aprende os sons corretos separados por pronúncia de vogais e consoantes e suas possíveis combinações. Bem didático, toda vídeo aula vem acompanhada de diagramas mostrando a posição correta da lígua dentro da boca para cada som, uma sessão de treino das palavras e um teste para você confirmar se aprendeu tudo.

BBC LEaning English: para os que querem explorar o sotaque britânico, o site da BBC tem uma área inteira dedicada ao ensino de pronúncias.

AudioEnglish.net:  oferece sons de pronúncia por categoria. Muito útil para quem busca pronúncias em assuntos mais específicos, como termos financeiros e relacionados a outras atividades profissionais. Você pode também ouvir diálogos inteiros para situações comuns, narrações e frases e completar testes de aprendizado. Este site foca mais em situações do que na pronúncia individual de palavras, mas é interessante para quem já tem um nível intermediário de inglês ou precisa saber pronunciar termos mais específicos.

English Experts: site em Português com dicas diversas e uma categoria específica com aulas sobre pronúncia, contando com vídeos e arquivos de áudio.

Estes são somente alguns dos recursos disponíveis online para você começar a explorar o assunto. Existem muitos outros. Se você conhece um site para recomendar e complementar nossa lista de sugestões, por favor deixe nos comentários.

Bons estudos!

VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 4.7/5 (6 votes cast)

Série Cozinhando Para Um: Salada Caprese

Posted by Patricia Muller On April - 24 - 20122 COMENTÁRIOS
Este post é parte da série Cozinhando para Um. Clique aqui para ler mais.

Tem dia em que queremos uma refeição leve e rápida, seja para um lanche no sábado ou jantar no meio da semana, quando tivemos um dia longo e a última coisa que queremos é gastar tempo na cozinha. Se você mora sozinho(a) ou está sozinho(a) em casa, quer comer algo saudável, mas não quer de fato cozinhar, então uma salada é uma excelente alternativa.

Saladas existem para todos os tipos de gosto, mas a base de folhas pode ficar repetitiva e entediante, dia após dia. Então nossa dica de hoje é uma sugestão de variação deste prato, uma salada de origem italiana que talvez você já conheça, mas nunca pensa em fazer:

Salada Caprese:

Ela é simples e rápida de fazer! A popular combinação de queijo com tomate é também sempre muito saborosa, até mesmo para aqueles não muito adeptos de saladas e verduras.

Por fim, o prato fica visualmente bonito (apresentação sempre ajuda!) e é ideal para ser consumida no jantar, pois não há concentração de carboidratos para você acumular em forma de gordura enquanto dorme.

Você só vai precisar de:

  • Um tomate
  • Mussarela de búfala
  • Manjericão
  • Azeite
  • Vinagre comum ou balsâmico (que é bem saboroso e dá um toque especial à salada). Pode também ser usado limão, se você preferir.
  • Sal

Como fazer:

  • Comece cortando o tomate já lavado em rodelas.
  • Corte a mussarela de búfala também em rodelas (idealmente, com diâmetro similar às do tomate). Se você só tiver a mussarela em “gotas” (tamanho pequeno), coloque mais de uma fatia até cobrir o tomate.
  • Coloque as fatias de mussarela de búfala sobre as rodelas de tomate.
  • Tempere com o sal, azeite e vinagre ou limão. O azeite de oliva é saudável quando não aquecido, mas use moderação.
  • Complete com folhinhas de manjericão sobre a mussarela.

É só isso! Fácil, simples, rápida.

Opções para complementar:

  • Embora este ingrediente não faça parte da receita tradicional, você pode acrescentar “fatias de clara de ovo” entre o tomate e a mussarela. Basta fazer um omelete fino somente de claras e cortá-lo em rodelas utilizando a boca de um copo ou forminhas. Fica gostoso e aumenta o valor proteico da receita, complementando sua sensação de saciedade.
  • Se somente a salada não for suficiente para sua refeição, ela pode ser acompanhada de uma massa (no almoço) ou então reforçada com um peito de frango grelhado (no jantar).
  • Pode também ser servida com uma fatia de pão italiano.
  • No inverno, você pode colocar a receita sobre fatias de pão italiano ou francês e levar ao forno por alguns minutos, até o queijo derretar, para uma opção de prato quente.
Quem disse que fazer jantar só para você não vale a pena? ;-) Experimente variar seu estilo de salada para tornar seus hábitos saudáveis também prazeirosos.
VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 5.0/5 (4 votes cast)

Série Cozinhando para um: Canelone de abobrinha com ricota

Posted by Fabiana Honorato On April - 24 - 20122 COMENTÁRIOS
Este post é parte da série Cozinhando para um. Clique aqui para ler mais.

Quer receita mais saborosa, rápida e barata que essa? Cortesia da minha cunhada, a Pammella, que trouxe a receita e super colaborou no passo-a-passo.

Você vai precisar de:

  • 2 abobrinhas médias sem as pontas;
  • 2 gemas;
  • 2 xícaras de chá de ricota esfarelada;
  • 1 colher de chá de orégano;
  • Sal e temperos a gosto;
  • 1/2 de xícara de chá de queijo parmesão ralado.

Para o molho:

  • 1 lata de molho de tomate com manjericão;
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva;
  • Sal a gosto.
Como preparar:
  • Em um recipiente esfarele a ricota. Acrescente as duas gemas, o orégano, o sal e os temperos de sua preferência e misture tudo com as mãos.
  • Lave as abobrinhas, corte as pontas e seque-as. Corte em fatias bem finas. Caso tenha um cortador de legumes, use-o para que as fatias fiquem bem fininhas. Caso não possua o cortador, use uma faca e coloque-as cuidadosamente, e sem dobrá-las, dentro de uma panela com água e aqueça levemente. Isso evitará que as fatias se quebrem na hora de enrolar.
É esse o aspecto que as fatias adquirem:
  • Recheie com a ricota. Para rechear, você pode colocar o recheio na fatia ainda aberta e enrolar. Eu, particularmente, achei mais fácil enrolar primeiro e colocar o recheio depois. Coloque tudo em uma forma.
  • Em uma panela, junte o molho, o sal, o azeite de oliva e os temperos de sua preferência. Aqueça até que o sabor esteja homogêneo.
  • Cubra a forma com os canelones com o molho e polvilhe com o queijo parmesão ralado.
  • Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 10 minutos, ou até a abobrinha estar cozinha.
  • Atenção com o tempo de cozimento pois a abobrinha, quando cozida longamente, derrete.
Outra sugestão de recheio:
Pasta de queijo
  • 2 colheres de sopa de queijo cremoso;
  • 300 gramas de provolone ralado;
  • 1 colher de alho torrado;
  • 1 colher de chá de orégano;
  • azeite, noz-moscada e sal a gosto.
Outras sugestões:
  • Você pode ainda substituir a gema por requeijão.
  • Uma outra opção é colocar uva-passa no recheio.
  • Sirva com a bebida de sua preferência.
  • Após experimentar este prato, escreva pra gente comentando o que achou ou envie-nos a sua sugestão de receita!
VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 4.0/5 (3 votes cast)

Mulher de bigode? Ai não!

Posted by Fabiana Honorato On April - 23 - 20121 COMENTÁRIO
Este post é parte integrante da série Detalhes que fazem a diferença. Clique aqui para ler mais.

Entre todas os quesitos abordados nesta série, este merece destaque; porque não há justificativa para, nos dias de hoje, ainda haver mulher de bigode.

10 em cada 10 homens afirmam ter arrepios e lapsos de fuga quando percebem o bigodão anunciando a falta de cuidado da gatinha.

E olha só: bigode + batom = 3x chamando mais atenção. Lábio destacado com batom mostra ainda mais o bigode.

E como dar um fim nele?

Vamos por partes, como já dizia o nosso amigo Jack.

Bigode são aqueles fiozinhos que se localizam acima dos lábios. A quantidade, volume e coloração que cada mulher possui é relativa a fatores genéticos e hormonais. Há algumas maneiras de removê-los. Citaremos cada uma delas:

  • Pinça - Pra quem não está acostumado, dói. E como. Vai demandar também um tanto de paciência pois você vai ter puxar praticamente fio por fio. Próximos à mucosa nasal são ainda mais doloridos de serem tirados. Resolve? Sim. Com o tempo você pega o jeito e o processo é quase indolor. Não encrava e não arrebenta. Também não deixa marcas. É o que eu prefiro, particularmente.
  • Cera quente - Apesar de dolorido é instantâneo. Um puxão de lá e um de cá e resolvido o problema. Requer cuidados tais como uso do protetor solar e hidratação pois a pele desta região é sensível. Ainda segundo as esteticistas a depilação feita repetidas vezes pode tornar a flacidez acentuada antes do tempo. Arranca os pelos pela raiz, o que garante os resultados por cerca de 10 a 20 dias.
  • Cera fria - Muito similar à cera quente com a diferença que é mais dolorida pelo fato de ser fria e não favorecer a abertura dos poros no processo
  • Lâmina de barbear - Método rápido e indolor. O contra é que os pelos nascerão rapidamente. Ao utilizar este método cuidados são necessários para evitar cortes e ferimentos.
  • Clareamento - Uma outra opção é o clareamento dos pelos. Eu particularmente acho um horror, pois se a intenção é de que os pelos não apareçam, esta técnica nem sempre cumpre seu objetivo. Dependendo do ambiente e da iluminação que estiver os pelos “dourados” refletem e você pode ficar parecida com o Leôncio do desenho do pica-pau. Mas calma que dá pra piorar. Já vi casos em que o clareamento ficou antigo e a raiz ficou escura com as pontas claras. Caso queira mesmo testar, vale a tentativa; o máximo que vai acontecer é você utilizar algum dos outros métodos mencionados para remover os pelinhos.
  • Laser - Método de depilação definitivo é bastante eficaz na eliminação permanente dos pelos. Também requer cuidados durante o tratamento e cada clínica sugere um determinado número de sessões necessárias para que o tratamento tenha sido efetivado. Pra quem dispõe de recursos vale a pena fazer. Utilizei esta técnica quando morava no Japão e, pelo menos lá, funcionou muito bem.
Aqui ficam as dicas. Não importa qual delas você escolha; o que não dá é sair por aí exibindo a barbicha que insiste detonar o visual.
VN:F [1.9.13_1145]
Deixe seu feedback sobre esta dica:
Rating: 3.9/5 (7 votes cast)

VIDEO

TAG CLOUD

Parceiros